Dia das mães e a quarentena: é momento de valorizá-las ainda mais

No último domingo, 10 de maio, comemoramos o Dia das mães em nosso país e a origem desta data é bastante singela.

bruno_artigos_pq 

As primeiras homenagens surgiram no estado da Virgínia nos Estados Unidos, com um grupo de amigas, encabeçadas por Anna Jarvis que se empenharam para instituir a data com uma maneira de reverenciarem todas as mães e, principalmente a de Anna, que acabara de falecer e teve um papel destacado no ativismo social naquele momento. Depois de uma intensa luta, em 1910, o primeiro dia das mães foi comemorado nos Estados Unidos e o mundo em sua maioria, instituiu e unificou o segundo domingo do mês de maio como o dia especialmente dedicado à comemoração a todas as mães. A data já havia sido sugerida pela autora Julia Howe em 1872, porém, sem que tivesse êxito em sua implantação naquele momento. No Brasil, a data foi estabelecida através de um decreto do então presidente Getúlio Vargas em 1932.

Sabemos de todas as dificuldades que as mães enfrentam diariamente, com o acúmulo de funções, em jornadas duplas e mesmo tripla de trabalho, casa, filhos e demais afazeres. Muitas delas exercendo um papel de pai e mãe, como arrimo de família de modo a superarem todas as dificuldades, com esforço leonino, para criarem seus filhos e levarem o sustento para suas casas. Este é um bom momento de destacarmos isso! A data é simbólica, pois o carinho materno transborda os limites de uma única data, sendo mesmo de se notar que muitas pessoas, num pensamento simplista, acreditam e enxergam o fato até como algo de caráter apenas comercial, chegando mesmo a deixar passar a oportunidade de reconhecer e de expressar seus sentimentos. Entretanto há que se considerar sim que nesta data as homenagens ao dia das mães deve ser marcada pela gratidão e pela emoção filial a aquela que se desdobra no afeto. Seja o segundo domingo de Maio o dia especial de reflexão, de uma reflexão ainda maior por estarmos em período de quarentena!

Com todos os problemas que o mundo enfrenta em razão da pandemia do COVID-19 e um número expressivo de pessoas que fazem parte de um grupo de risco, principalmente acima dos 65 anos, muitas famílias terão que se readequar e passar o dia das mães separados e comemoraram a data, assim, por um texto, por uma chamada de vídeo no celular, ou mesmo, por um aceno vindo da rua. A reflexão que nos cabe é: será que temos valorizado nossa mãe, na medida justa de seu merecimento, também nos outros 364 dias?

Sem dúvida nenhuma a comemoração deste ano foi diferente e histórica. Cabe a cada um de nós entendermos e digerirmos que a nossa mãe, aquela que nos gerou ou nos criou, aquela que exerceu seu papel verdadeiramente e que só teremos uma oportunidade de bem cuidar dela na vida. Aproveite a sua oportunidade!

Feliz Dia das Mães a todas as mamães!

 Siga minhas redes sociais:

https://www.facebook.com/brunorzancheta/

https://www.instagram.com/brunozancheta/

* O autor é Professor da Rede Estadual de Ensino, Cientista Político, Cientista Social e Antropólogo pela UFSCar- Universidade Federal de São Carlos. Graduando em História pela UNIP -Universidade Paulista, Assessor Parlamentar e apaixonado pela vida. É colunista dos sites: São Carlos Agora, Sucesso São Carlos, Região em Destake, São Carlos Dia e Noite, dos Jornais “Primeira Página”, “Gazeta Central” e da Revista Ponto Jovem. Idealizador e Coordenador da Ação Social “Unidos Somos Fortes” e um blog em seu site: brunozancheta.com.br.  

Flexibilização da quarentena e os cuidados que ainda deveremos ter

Obviamente que todos nós temos sido afetados com os efeitos da quarentena e cada um acaba enfrentando suas dificuldades de alguma forma. Sabemos o quanto tudo isto está sendo custoso, porém temos que concordar que este é um sacrifício mais do que necessário e o quanto os altos índices de isolamento estão se mostrando fundamentais para o achatamento da curva de crescimento dos casos do COVID19. Depois deste longo período, cujo término ainda se desconhece, estamos tateando com novos passos e seus impactos, por exemplo, nos possíveis aumentos da ocupação de leitos especializados e de UTI’s. Uma verdadeira avaliação de causa e efeito, ainda sem regras de controle!

A priori da flexibilização é notório que precisamos analisar o quadro brasileiro e como nosso país tem enfrentado o COVID19. Temos até o momento mais de 50 mil casos e mais de três mil mortos, um número bastante alarmante e a tendência é que este denominador aumente. É claro que diariamente outros brasileiros, em um número bem maior, morrem de complicações causadas pelo câncer, coração, acidentes, crimes e outros tantos males, porém, precisamos atentar que todas as outras causas já vêm sendo estudadas ao longo do tempo e, para a maioria delas as medidas preventivas ou protetivas e seus cuidados médicos surtem seus efeitos. No Coronavírus ainda não, pois somos vítimas, ás cegas, de um vírus que não sabemos nem de onde e porque surgiu  realmente. O que nos traz alento é que o número de casos recuperados em todo mundo ultrapassou mais de 700 mil pessoas, com um índice de letalidade agressivo, mas ainda não fulminante, em torno de 4%.

O Estado de São Paulo, por força de fatores econômicos e mesmo, de sobrevivência, inicia sua flexibilização da quarentena, ou seja, um afrouxamento das medidas restritivas de ficarmos em casa até o dia 11 de Maio e irá priorizar setores como o comércio, indústria e serviços essenciais e este processo será realizado de forma gradual e seletiva. Os munícipios do interior irão inaugurar esta flexibilização, claramente seguindo a especificidade de cada região, embora pesquisadores da UNESP alertem que o interior está com um atraso de 3 a 4 semanas para atingir os nefastos índices já atingidos na capital. Ou seja, muito cuidado nesta hora!  Para reativação de todas as atividades o estado dividirá os municípios em zonas: verde, amarela e vermelha.

O principal ponto que precisamos ter em mente é a disciplina pessoal no que se refere á higienização dos locais e o seguimento à risca dos protocolos sanitários, distanciamento entre as pessoas e também a utilização do álcool em gel e de máscaras. Caso isto não aconteça, os resultados serão desastrosos e a flexibilização poderá ser anulada.

É bem verdade que hoje estamos mais preparados para enfrentar o COVID19 do que há aproximadamente 45 dias atrás quando iniciamos a quarentena. Vale um ponto a ressaltar: a flexibilização da quarentena em outros países, como por exemplo, na Alemanha e Áustria, foi iniciada apenas depois do pico, o que ainda, segundo especialistas, não aconteceu em nosso país e isto precisa nos deixar atentos.

Feitas essas ponderações precisamos realizar uma cautelosa flexibilização da quarentena e, mais do que nunca, sermos prudentes. É momento de se ouvir toda sociedade civil, toda classe médica e servidores da linha de frente. No cabo de guerra contra o COVID19, o momento pede que todos puxem a corda para o mesmo lado.

* O autor é Professor da Rede Estadual de Ensino, Cientista Político, Cientista Social e Antropólogo pela UFSCar- Universidade Federal de São Carlos. Graduando em História pela UNIP -Universidade Paulista, Assessor Parlamentar e apaixonado pela vida. É colunista dos sites: São Carlos Agora, Sucesso São Carlos, Região em Destake, São Carlos Dia e Noite, dos Jornais “Primeira Página”, “Gazeta Central” e da Revista Ponto Jovem. Idealizador e Coordenador da Ação Social “Unidos Somos Fortes”.

Ação social “Unidos Somos Fortes” entrega duas geladeiras do conhecimento nos bairros Cidade Aracy e Vila Isabel

A ação social “Unidos Somos Fortes” entregou neste sábado (18) duas geladeiras do conhecimento com mais de 200 livros cada uma dentro para o Projeto Social Araci “PROARA” e a segunda unidade foi entregue para a escola estadual Antônio Adolfo Lobbe, localizada no Bairro Vila Isabel. O Projeto Araci “PROARA” atende mais de 230 crianças e jovens entre cinco aos dezoito anos diariamente com a realização de diversas atividades, futebol, música, leitura e estes livros serão de fundamental importância para o funcionamento do projeto social. Já a Escola Estadual Antônio Adolfo Lobbe, no bairro Vila Isabel, possui cerca de 200 alunos entre as faixas etárias de seis aos onze anos e os livros serão de grande valia. Em razão da pandemia, as entregas seguiram todos os protocolos necessários.

A ação social realizou uma campanha em suas redes sociais, denominada, “Janeiro e Fevereiro dos Livros” e conseguiu, graças a inúmeras doações de voluntários a expressiva marca de aproximadamente 1000 livros arrecadados. Além das geladeiras do conhecimento, a ação social entregou também mais de 350 livros para o acervo da Biblioteca Municipal Amadeu Amaral.

Este slideshow necessita de JavaScript.

“Sabemos o tamanho e a importância da educação e o poder de transformação que um livro pode fazer na vida de uma criança e de um adolescente. Agradeço infinitamente todas as pessoas que foram fundamentais para que isto acontecesse, fazendo suas doações, enviando vibrações positivas e participando ativamente, de mãos dadas com nossa ação. Continuaremos fazendo a diferença juntos. Estou muito feliz em participar de tudo isso”, disse Bruno Zancheta, idealizador da ação social.

Já Carol Zancheta, participante da ação destacou a felicidade das crianças quando receberem estes novos livros. “É uma sensação indescritível saber que faremos a diferença na vida de alguém”, finalizou Carol Zancheta.

A ação social “Unidos Somos Fortes” tem uma página nas redes sociais: https://www.facebook.com/actionusf/ que você pode entrar em contato e também acompanhar todas as ações que estão sendo realizadas.

Quais reflexos da pandemia e qual reflexão temos feito?

A pergunta que fica é: qual reflexão que temos feito durante a pandemia e quais seus reflexos no mundo todo?

bruno_artigos_pq
Por Bruno Zancheta.*

                  Muito tem se falado sobre este longo e quase infindável período de quarentena que estamos vivendo, pois sabemos apenas quando ele começou, mas não sabemos quando ele irá se encerrar. A primeira data que está posta e pré-estabelecida seria dia 30 deste mês, porém, baseado em outros países e suas experiências de isolamento social, ela deve se alongar….A pergunta que fica é: qual reflexão que temos feito durante a pandemia e quais seus reflexos no mundo todo?

              Economicamente o reflexo é visível em todas as partes do mundo. Com os estabelecimentos fechados ou mesmo funcionando com a realização de entregas em domicilio, os comerciantes têm enfrentando dificuldades para vencer a “crise do  coronavírus”. A economia chinesa, por exemplo, a segunda maior do mundo, “tombou” e com certeza irá precisar de um tempo bastante dilatado para se reerguer novamente apesar de toda sua força. Os Estados Unidos, maior expoente econômico mundial, depois de 113 meses, registrou, através do Departamento de Trabalho do governo, uma queda nos empregos, foram 701 mil demitidos, ficando latente a desaceleração econômica. Além disso, o presidente Donald Trump promulgou um pacote de US$2 trilhões de dólares (R$ 10 trilhões de reais), o maior da história americana, para o alívio dos impactos do coronavírus na economia norte-americana.

               O inevitável é a quebra do ciclo econômico e o desbaratamento das inúmeras cadeias produtivas, provocando mudanças profundas no comportamento do consumidor, agora mais introspectivo. Outra percepção de cunho estratégico é acerca dos riscos de se depender monopolisticamente de uma única fonte produtora, no caso a China, um verdadeiro dragão vestido de cordeiro, o que colocou o país de joelhos ao depender exclusivamente de seus produtos.

                Em nossa região, a de São Carlos, não é diferente. Mais de 50% das indústrias já estão sem materiais que vem da China e enfrentam dificuldade para compra de matéria prima para os serviços essenciais e consequentemente para sua produção final. Os hospitais têm sofrido também com falta de máscaras, aventais, respiradores, álcool gel e outros produtos. O PIB (Produto Interno Bruto) do Brasil irá sofrer uma queda 0,5% em 2020 em razão da pandemia, segundo pesquisa do Bank of América (Bofa) e em 2021 a expectativa é que voltemos a crescer novamente. O presidente Jair Bolsonaro sancionou recentemente um auxílio de R$ 600,00 a trabalhadores informais, sendo duas pessoas da mesma família por até três meses, como medida para ajuda a população durante este período crítico do COVID-19 e, além disso, os governos estaduais e municipais tem também adotado medidas que vão nesta direção única de amparar as pessoas. Todos estes reflexos que surgem travestidos de dificuldade precisam ser enfrentados, apesar de todas as limitações.

 

                Para médicos infectologistas e pesquisadores da Fiocruz e de Núcleo de Operações e Inteligência em Saúde (NOIS), o pico da epidemia irá ocorrer no Brasil entre os dias 25 e 30 de Abril e a fase atual do COVID-19 em nosso país pode ser chamada de pré-pico. Apesar disso, os números são alarmantes: são mais de 14 mil casos confirmados e mais de 650 vítimas fatais. A preocupação do Ministério da Saúde neste momento é que vamos vivenciar três picos de forma simultânea: COVID-19, dengue e influenza. Mesmo diante de todo este quadro grave, o momento é de cautela e ponderação, é hora de “resistirmos” mais um pouquinho. Apesar de enérgicas, são medidas necessárias neste momento, precisamos entender tudo isso. É hora de aproveitarmos o tempo com nossa família, seguindo os devidos cuidados, é momento de curtirmos momentos que, com a correria do nosso cotidiano não conseguimos fazer e realizarmos uma profunda reflexão, valorando ainda mais nossas vidas! Há que se buscar o equilíbrio entre o ter e o ser!

                Apesar disso, o isolamento social que temos realizado e que, sem sombra de dúvida está funcionando, haja vista a explosão de casos que outros países com um número populacional bem menor que o nosso sofreram. Obviamente que, a população italiana, por exemplo, tem uma idade, na média, bem maior que os brasileiros, porém, as medidas tomadas aqui, por incrível que isto pareça, foram mais rápidas do que os nossos queridos italianos. Caso este isolamento não fosse realizado, segundo dados do governo de São Paulo, teríamos hoje em nosso estado mais de 50 mil casos, um número dez vezes maior que o atual.

                Outra reflexão de suma importância que devemos realizar vem da própria natureza. A Companhia Ambiental do Estado de São Paulo (CETESB) divulgou dados no último dia 20 de Março, durante o período da quarentena, que a poluição na cidade de São Paulo diminuiu de forma significativa em 29 locais que receberam medição na região metropolitana e a qualidade do ar na capital paulistana é considerada boa. A resposta da natureza nos mostra que precisamos refletir em caráter de urgência! As águas dos canais de Veneza, na Itália, estão mais claras e nítidas sem a presença dos turistas e barcos em razão do COVID-19, os canais estão limpos depois de um longo período, são respostas da natureza para nós! A incidência desta e anteriormente, de outras ameaças virais nada mais é do que o grito de alerta da mãe natureza, agredida ao limite, mostrando que rompidos seus limites de sustentabilidade, o desequilíbrio decorrente será dramático para o homem. Ou mudamos ou seremos aquinhoados com novas irremediáveis surpresas a seguir!

                Nosso intuito aqui é alertar que a prevenção e a precaução são neste momento o melhor remédio, vale à máxima: “é melhor prevenir agora do que remediar depois”, ou seja, ou seguimos a cartilha da quarentena de forma rigorosa ou depois seremos reféns de medidas paliativas que podem nos custar á vida. As percepções individuais de renúncia e de busca de autoproteção são importantes sim.

              É notório que temos sentido falta daquele carinho diário, do contato com nossos familiares e amigos de forma mais efetiva e afetiva, porém precisamos ser responsáveis e seguir também todos os protocolos de higiene (lavar as mãos, álcool gel, luvas, mascaras) e às políticas públicas de saúde, mas o problema é mais embaixo, pois se refere também ao respeito à natureza! Apesar dos reflexos notórios da pandemia, a reflexão, realizada aqui, aí, dentro de cada um de nós, precisa ser muito mais ampla e global.

* O autor é Professor da Rede Estadual de Ensino, Cientista Político, Cientista Social e Antropólogo pela UFSCar- Universidade Federal de São Carlos. Graduando em História pela UNIP -Universidade Paulista, Assessor Parlamentar e apaixonado pela vida. É colunista dos sites: São Carlos Agora, Sucesso São Carlos, Região em Destake, São Carlos Dia e Noite, dos Jornais “Primeira Página”, “Gazeta Central” e da Revista Ponto Jovem. Idealizador e Coordenador da Ação Social “Unidos Somos Fortes”.

Dicas para estimular as crianças à leitura durante a quarentena

Escolha do livro e entusiasmo ao contar as histórias são algumas técnicas que ajudam a despertar o interesse.

A jornalista, roteirista e escritora Goimar Dantas lançou o livro A Arte de Criar Leitores: reflexões e dicas para uma mediação eficaz, pela Editora Senac São Paulo (2019), e listou algumas dicas de como os pais podem aproveitar o isolamento social por conta da pandemia do novo coronavírus para tornarem-se mediadores de leitura, assim como aumentar o interesse das crianças.

A obra contém não apenas reflexões teóricas sobre o universo dos livros e da leitura, mas também traz dicas importantes para todos os que buscam despertar no outro o gosto e o amor pela prática.

A autora destaca a importância dos mediadores e afirma que, “para ser um bom mediador, basta falar de histórias com paixão, entusiasmo e amor, e aproveitar esse momento que estamos passando mais tempo juntos para fixar a atividade na rotina”.

Goimar compartilha dicas para os pais se tornarem bons mediadores de leitura:

  1. Escolha um livro ou texto de que você goste.
  2. Demonstre entusiasmo ao apresentá-lo.
  3. Comece mostrando a capa, contracapa, dizendo o nome do autor.
  4. Pratique para ter uma boa entonação durante a leitura; aliás, você pode alterar seu tom de voz dependendo dos personagens do livro e da situação que ele apresenta.
  5. Abra o livro e apresente as ilustrações, caso a obra possua.
  6. Leia o texto em voz alta e, vez ou outra, faça algumas pausas para olhar nos olhos da criança.
  7. Ajude seu filho a entrar de cabeça no universo da obra; não precisa parar para explicar as palavras difíceis do texto, mas se ele perguntar, você pode responder.
  8. Pergunte o que a criança mais gostou da história, o que sentiu durante a leitura, se já passou por alguma situação parecida ou se gostaria de viver em sua vida algo que o livro apresentou. Deixe que ela se expresse, troquem ideias, faça com que se sinta à vontade para falar ao final.
  9. Guarde essa dica: é preciso ler “com” a criança e não “para” ela. Mediar a leitura é um tipo de entrega, de dança, de ritual. Contar com a participação, a alegria e a integração do outro torna tudo mais mágico e bonito.

A figura do mediador de leitura pode ser comparada ao arco-íris multicolorido, uma vez que aponta o caminho rumo ao verdadeiro pote de ouro que é o contato com os livros, um encontro que contribui para a diversão, prazer, alegria e, de quebra, consciência crítica, criatividade, ganho de vocabulário, capacidade de argumentação, empatia, cidadania e outras tantas benesses que advêm dobito de ler e que simbolizam verdadeiros tesouros na vida de quem se aventurar por páginas repletas de histórias.

*O trecho acima foi retirado do livro A Arte de Criar Leitores: reflexões e dicas para uma mediação eficaz, de Goimar Dantas.

Ficha técnica:

A arte de criar leitores: reflexões e dicas para uma mediação eficaz

Autora: Goimar Dantas
Editora: Editora Senac São Paulo

Páginas: 280

Preço: R$ 50

Site: https://www.livrariasenac.com.br/

 

Sobre a autora:

Goimar Dantas – jornalista, roteirista, escritora e mestra em comunicação e letras pela Universidade Presbiteriana Mackenzie. Em 2011, foi finalista do Prêmio Jabuti. É autora de obras de diversos gêneros, como o livro-reportagem Rotas literárias de São Paulo (Editora Senac São Paulo, 2014) e o romance Aquele mês de abril (2019). Escreveu os infantis Estrelas são pipocas e outras descobertas (2013), também publicado em 2014, na Espanha; Minha boca está pelada! (2013); e Quem tem medo de papangu? (2011). Ministra palestras e cursos por todo o Brasil, sempre abordando temas relacionados à literatura e à escrita. Saiba mais em www.goimardantas.com.br

Informações para a imprensa:

Editora Senac São Paulo – In Press Porter Novelli Assessoria de Comunicação

senac@inpresspni.com.br

Giovanna Bozio – giovanna.bozio@inpresspni.com.br

Deborah Belluzzo – deborah.belluzzo@inpresspni.com.br

Tel. 11 4871-1447

Partido Liberal indica Julio Cesar como pré-candidato á prefeito de São Carlos

Mais um forte concorrente é lançado como pré-candidato ao cargo de prefeito de São Carlos nas eleições de outubro de 2020. Trata-se do professor universitário e vereador, Julio Cesar. O anúncio da candidatura foi feito pelo pré-candidato e pelo presidente do PL, José Tadeu Candelária, na sede do Partido Liberal na cidade de São Paulo.

Em contato com a nossa redação, o vereador Julio Cesar confirmou sua decisão, esclarecendo:

“Esta minha pré-candidatura não é um projeto pessoal e nem foi pensada de um dia para o outro. Ela foi amadurecendo nos últimos seis meses por meio de diálogos com a população, lideranças,  apoiadores e meu partido. Enfim, é um compromisso firmado que é fruto de um desejo coletivo e da confiança do PL em relação ao meu nome.”

E complementou: “Sou vereador no terceiro mandato, por duas vezes o mais votado da história de São Carlos. Conheço bem nossa cidade e tenho experiência e conduta ilibada para almejar e concorrer ao cargo em questão. Enfim, foram vários fatores que fortaleceram minha decisão de aceitar o desafio e de me apresentar como uma mudança responsável neste momento difícil que estamos passamos”, argumentou Julio Cesar.

Julio Cesar é natural de São Carlos, é casado e pai de dois filhos. Ele é formado em Direito, tem Licenciatura Plena em História, pós-graduação em Gestão Pública pela Fundação Getúlio Vargas (FGV) e mestrado em Ciência Política pela Universidade Federal de São Carlos (UFSCAR). Ele é também é professor universitário, membro da Associação Brasileira de Ensino de Direito- ABEDI, e da Associação Brasileira de Ciência Política- ABCP, com experiência na docência do ensino jurídico, principalmente em Direito Constitucional, História do Direito, Direito Administrativo e Ciência Política.

Julio Cesar exerce o terceiro mandato como vereador em São Carlos e foi presidente da Câmara Municipal no biênio 2017-2018. Também foi secretário de Planejamento e Gestão em São Carlos, e deputado estadual, cargo que assumiu por um período no ano de 2019.

IBATÉ – Escola Municipal Julio Benedicto Mendes celebra Dia da Merendeira

O “Dia da Merendeira Escolar” é comemorado em diversas datas, de acordo com o município ou estado. A data é celebrada em Ibaté no dia 31 de março.

Reconhecendo o trabalho e a importância de cada uma delas no ambiente escolar, direção e coordenação da Escola Municipal “Julio Benedicto Mendes” homenagearam as funcionárias Janise Aparecida Rossi da Cunha Lima e Sueli Aparecida Machado de Almeida como forma de agradecimento e valorização pelo excelente trabalham que realizam.

Este slideshow necessita de JavaScript.

O diretor Alexandre Moraes Gaspar ressaltou que as aulas estão suspensas, por isso não foi possível fazer uma grande festa para celebrar essa importante data. “Como as aulas estão suspensas, a Unidade de Ensino não fez festa para comemorar essa importante data, mas não deixou de ressaltar a importância delas, presenteando as merendeiras com uma linda orquídea e uma cesta de chocolates”, destacou Gaspar.

O diretor ressaltou que as merendeiras fazem parte do processo pedagógico, frisou sobre a qualidade da merenda oferecida aos alunos e que os professores de sala (PEB I) e o professor de Educação Física Christiano, professor de Música Fernando e a professora de Informática Bruna trabalham com os discentes sobre a importância de uma alimentação saudável e os benefícios da prática regular de atividades físicas. “As merendeiras são responsáveis por um dos momentos importantes na vida escolar, a hora do lanche. A alimentação escolar faz parte do processo ensino e aprendizagem, contribuindo para o crescimento, o desenvolvimento e o rendimento escolar dos estudantes, bem como para a promoção e a formação de hábitos alimentares saudáveis. Os alimentos oferecidos nas escolas compõem cardápios balanceados, de acordo com a aceitação e a necessidade nutricional das crianças. Alimentação balanceada e a prática regular de exercícios caminham juntas para uma qualidade de vida melhor, e são temas em sala de aula, já que a obesidade é a segunda causa de morte no mundo e considerada epidemia pela Organização Mundial da Saúde (OMS). Sendo assim, é nosso dever oferecer uma alimentação de qualidade e conscientizar nossos alunos para que as estatísticas mudem”, finalizou Gaspar.

O prefeito José Luiz Parella (PSDB) agradeceu o empenho e a dedicação de todas as merendeiras pelo excelente trabalho que desenvolvem e destacou a qualidade da merenda nas escolas do município. “Em sua maioria, os hábitos alimentares consolidados na vida adulta são adquiridos durante a infância, momento marcado por muitas descobertas. Por essa razão, é fundamental estimular a criança o mais precoce possível a ter hábitos saudáveis. Por isso fazemos questão de oferecer uma merenda de qualidade, e as merendeiras são peças fundamentais, já que elas alimentam a alma.

Elas são atenciosas, dedicadas e comprometidas com o trabalho, por isso, merecem nosso reconhecimento. Parabéns!”, comentou o chefe do Executivo.

Câmara Municipal aprova reajuste dos servidores públicos

A Câmara Municipal aprovou os processos em pauta na sessão extraordinária realizada nesta quarta-feira (1). O vereadores aprovaram o Projeto de Lei No.144, da Prefeitura, que estabelece reajuste dos salários dos servidores públicos municipais diretos e indiretos, incluindo os inativos e pensionistas a partir de 1º de março de 2020, no percentual de 4,01% relativo ao Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) acumulado no período de março de 2019 até fevereiro de 2020, conforme calculado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Também foi aprovado o projeto de lei No. 143 que altera a Lei Municipal nº 16.630/13 fixando o benefício do ticket refeição no valor de R$ 550,00 mensais.

O plenário aprovou ainda o Projeto de Lei No.146, da Mesa Diretora da Câmara, que concede reajuste de salários aos servidores públicos do Legislativo, incluindo inativos e pensionistas, a partir 1º de março de 2020, no percentual de 4,01% relativo ao Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) acumulado no período de março de 2019 até fevereiro de 2020. Os parlamentares apreciaram e aprovaram também, o Projeto de lei No. 145, de autoria da mesa diretora que Altera a Lei Municipal nº 18.549 fixando o benefício do ticket refeição no valor de R$ 550,00 mensais.

Todos os projetos de lei foram aprovados pelo placar de 15 votos favoráveis e um contrário.

Coronavírus: qual tamanho da pandemia?

Não é a primeira vez que um vírus toma proporção mundial e deixa o mundo todo em pânico, mas desta vez, a gravidade vai muito além do que possamos imaginar e infelizmente o COVID-19, assim batizado pela OMS – Organização Mundial da Saúde, que teve seu genoma detectado duas semanas após seu surgimento, veio para ficar.

bruno_artigos_pq
Por Bruno Zancheta.*

Os estados brasileiros dada à gravidade do caso decretaram: estado de emergência e, o governo federal reconheceu, no último dia 17, o estado de calamidade pública, inicialmente com duração, até o final deste ano.

Depois de quatro meses do caso número “zero” registrado na China, mais precisamente na província de Hubei, na cidade de Wuhan, ficamos reféns de um vírus que eclodiu e se alastrou em pouquíssimo tempo para todos os continentes. Produtos de tratamento preventivo para frear a contaminação em nosso país começam a faltar nas prateleiras, como por exemplo, álcool gel, máscaras, etc. Estamos sendo orientados insistentemente à ficar em nossas residências e sairmos apenas para realizarmos o necessário, inúmeros locais, como comércios, bares, clubes, estão sendo fechados por tempo indeterminado, eventos estão sendo cancelados mas, trocando em miúdos, qual o tamanho da pandemia?

A pandemia global, decretada pela OMS significa que existe ao redor do mundo todo, ao mesmo tempo, uma epidemia. A epidemia é um aumento nos casos, seguido por um grande pico e posteriormente um decréscimo. Exemplificando, a China e a Itália, são as campeãs dos casos de COVID-19, seguidas da Espanha. Depois de passados os piores picos, a informação que temos é a de que têm diminuído os casos na China para determinados tipos de transmissão. Na Itália, entretanto, as mortes não sinalizam diminuição ainda. Efeitos colaterais desastrosos se dão no setor econômico, cujas consequências são ainda incalculáveis uma vez que o ciclo econômico produtivo foi quebrado, talvez de maneira irreversível. A economia global está sendo duramente atingida!

Falando em números globais, ao que se sabe, mais de 520 mil casos foram confirmados em mais de 170 países, com mais de vinte e três mil vítimas fatais. Em 08 de março deste ano, chegamos a 105 mil casos, em todo mundo. Para que tenhamos uma magnitude, em aproximadamente vinte dias, os casos mais que triplicaram. Na América Latina, em 20 países já estão com casos confirmados de COVID-19. No Brasil, que teve seu primeiro caso confirmado no dia 27 de fevereiro deste ano, já são mais de dois mil casos confirmados, com quarenta casos fatais e outros em investigação e infelizmente este número deve ser ainda maior. Esta informação tem sido lenta por falta de condições de se realizarem imediatamente, os exames comprovatórios. Segundo pesquisa realizada pela universidade americana de Columbia, os dados de pacientes infectados pelo COVID-19 estão entre cinco e trinta vezes maior do que os números que estão sendo divulgados, ou seja, precisamos estar atentamente vigilantes.

Vale ressaltar que muitas notícias falsas, as famosas “Fake News” estão sendo veiculadas nas redes sociais e vamos desmitificar com este artigo algumas delas e deixar você bem informado. A primeira delas é que Cuba teria uma vacina e esta vacina seria a cura para o COVID-19, isto não é verdade.  Há um esforço gigantesco em todo mundo para descoberta de uma vacina, um remédio, mas até o momento não chegamos a nenhuma solução eficaz, comprovada. Outra notícia espalhada nas redes sociais é que ingerir determinado alimento, como por exemplo: alho, ou fazer gargarejo de vinagre com sal, nos tornariam imunes ao novo coronavírus, impedindo de sermos infectados. Isto também não é verdade.

Claro que não podemos nos esquecer do prejuízo financeiro que o COVID-19 tem trazido para todo o mundo com a paralisação de atividades das indústrias, porém não é momento de voltarmos nossa atenção á isso por mais sério que seja, estamos enfrentando senão a maior, uma das maiores pandemias da história e milhões de vidas estão em jogo, principalmente das pessoas que estão em zona de risco. É bem verdade também que diariamente a dengue, por exemplo, também é um problema que nos aflige e tantas outras doenças são letais, porém, na maioria delas temos um sistema de vacinas e prevenções e estamos “preparados” para enfrentá-las. Reforçando, o COVID-19 vitimou um número exponencial de pessoas em poucos dias e ainda não sabemos nem de onde vem e nem como curá-lo, estamos apenas nas suposições. O isolamento dos idosos é uma orientação correta, inquestionável.

Mais do que um artigo, escrevo alguns conselhos para todos: evitem lugares com grandes aglomerações de pessoas, lavem e higienizem bem as mãos e utilizem álcool gel, fiquem em suas residências o máximo possível. Caso percebam os sintomas de uma gripe ou do COVID-19, façam o monitoramento, troquem informações online com seu médico, realizem o exame, coloquem-se de quarentena! Lembrando que não estamos de férias e sim reclusos diante de uma pandemia. É chegada a hora de fazermos a lição de casa. Às pessoas em situação de risco, idosos e que já tem algum tipo de problema de saúde, o recado é ainda mais rigoroso: o COVID-19 não é brincadeira, preservem sua vida e a dos que lhes são queridos.

* O autor é Professor da Rede Estadual de Ensino, Cientista Político, Cientista Social e Antropólogo pela UFSCar- Universidade Federal de São Carlos. Graduando em História pela UNIP -Universidade Paulista, Assessor Parlamentar e apaixonado pela vida. É colunista dos sites: São Carlos Agora, Sucesso São Carlos, Região em Destake, São Carlos Dia e Noite, dos Jornais “Primeira Página”, “Gazeta Central” e da Revista Ponto Jovem. Idealizador e Coordenador da Ação Social “Unidos Somos Fortes”.

Senac São Paulo oferece mais de 20 cursos e conteúdo on-line gratuitos

Instituição disponibiliza educação on-line para capacitação dos profissionais durante a quarentena em casa.

O Senac São Paulo disponibiliza, a partir desta semana, 24 cursos on-line gratuitos (extensão universitária e cursos livres) para pessoas que buscam aprimorar conhecimento e aprender em casa. A iniciativa da instituição reforça que a educação é um dos principais meios para o desenvolvimento da comunidade e que deve ser contínua, mesmo que em casa, considerando o cenário do país de isolamento social por conta do coronavírus e seguindo as orientações dos órgãos de saúde.

Disponíveis no portal www.sp.senac.br, entre os cursos de extensão universitária, com carga horária que varia de 40 a 60 horas, estão: Docência e Mediação Pedagógica Online, Elaboração de Materiais Didáticos com Recursos Tecnológicos, Gestão das Potencialidades Humanas e Avaliação de Desempenho, Pr imeiros< /i> Passos para Empreender, entre outros. Os cursos livres atendem a necessidades variadas, tais como liderança, finanças, imagem pessoal, nutrição, neurociência. As vagas são limitadas.

Serviço

Cursos on-line gratuitos do Senac São Paulo
Inscrições: www.sp.senac.br

Confira a lista completa disponibilizada gratuitamente pelo Senac São Paulo:

Cursos de Extensão Universitária
Docência e Mediação Pedagógica Online
Elaboração de Materiais Didáticos com Recursos Tecnológicos
Estratégias de Negociação Internacional
Gestão das Potencialidades Humanas e Avaliação de Desempenho
Logística Internacional e Operações Globais
Planejamento Estratégico Orientado ao Setor Público
Primeiros Passos para Empreender
Produção de Conteúdos para EAD
Supply Chain Management

Cursos Livres
As 5 Dimensões da Autoliderança
Autoliderança na construção da imagem profissional
Caminhos para Liberdade Financeira
Como dar Feedbacks?
Como Pedir e Receber Feedbacks?
Cultura de Paz
Estilo e Imagem Pessoal – feminino
Estilo e Imagem Pessoal – masculino
Gestão do Tempo
Neurociências das emoções
Nutrição e Diabetes
Redação Corporativa no Dia a Dia
Reforma da Previdência
Restauro e Conservação de Acervo Bibliográfico
Inclusão de Pessoas com Deficiência

Sobre o Senac São Paulo
Há mais de 70 anos, o Senac São Paulo contribui para a educação profissional oferecendo cursos livres, técnicos e de ensino superior (graduação, extensão universitária e pós-graduação), presenciais e a distância, em diferentes áreas do conhecimento. Além disso, coloca o seu atendimento corporativo à disposição de organizações públicas, privadas e do terceiro setor com equipe especializada em desenvolver soluções sob medida para suas necessidades.

Com 63 unidades educacionais, a instituição está presente em todo o estado de São Paulo. São 18 na capital; cinco na Grande São Paulo; duas no litoral; 35 no interior; além dos três campi do Centro Universitário Senac, sendo um no bairro Santo Amaro, na capital, e dois no interior, que formam o complexo educacional com os hotéis-escola Senac em Águas de São Pedro e em Campos do Jordão. A instituição conta, ainda, com a Editora Senac São Paulo.